Mulher é condenada após ameaçar 'ajoelhar-se no pescoço' de criança negra

 Garoto Negro

Fonte: Kenex Media / Pexel

Em 29 de dezembro, Kristina Graper, uma mulher branca de 51 anos de New Hampshire, foi condenado por violações dos direitos civis do estado pelo Departamento de Justiça de New Hampshire depois de ameaçar uma criança negra de 9 anos, de acordo com o Departamento de Justiça de New Hampshire. UMA de acordo com A Besta Diária , Graper ameaçou “ ajoelhar no pescoço [da criança] ” e se referiu a ele usando um insulto racial,



O incidente ocorreu em maio de 2021, quando a criança negra de 9 anos estava brincando com o filho de Graper em um parque do bairro e o filho de Graper o empurrou. Em troca, o menino quebrou um brinquedo “míssil de espuma ou bala de espuma” que pertencia ao filho de Grapers, segundo o jornal. documentos judiciais fornecidos por Imprensa associada . O filho de Graper correu para casa e contou à mãe sobre isso, e Graper foi ao parque e ameaçou a criança negra. Uma testemunha disse a Graper que “seu comportamento era desnecessário, e então Graper começou a gritar com aquela pessoa”. ABC noticias relatado.

A mãe da criança chamou a polícia depois de saber do incidente. Em junho de 2021, após se encontrar com a mãe e a criança, Graper negou tudo, inclusive que ajoelhe-se no pescoço do menino mas, em vez disso, isso dizia algo como “você se pergunta por que vocês se ajoelham (palavrão)”, de acordo com ABC noticias . O jovem “entendeu os comentários como um referência ao assassinato de George Floyd ano passado”, e agora está angustiada e com medo de voltar ao parque e brincar. Ele disse que retornará ao parque “quando outras crianças estiverem lá para ajudar a mantê-lo seguro”, dizia a queixa.

Graper não pode entrar em contato com o menino e sua família ou “chegar conscientemente a 250 pés da vítima e da família da vítima”. Leitura do documento do Departamento de Justiça de New Hampshire. Como parte de sua condenação, Graper tem uma multa civil de US$ 2.500 com US$ 2.000 suspensos por um período de três anos condicionado ao cumprimento da liminar. Se ela violar estes termos, Graper pode enfrentar “sanções civis e/ou criminais incluir multas ou encarceramento”. A ordem judicial estará em vigor por três anos e poderá ser prorrogada “por ordem do tribunal, mediante moção do Procurador-Geral”.